domingo, 6 de novembro de 2016

POLICIA FEDERAL PRENDE 11 POR SUSPEITA DE FRAUDE AO ENEM 2016

Duas operações foram realizadas pela PF neste domingo (6) em 8 estados.

Criminosos usavam ponto eletrônico para transmitir gabarito a candidatos.


video

O delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni informou que 11 pessoas foram presas neste domingo (6) em duas operações realizadas em 8 estados para combater fraudes contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Perazzoni disse que todos os presos foram flagrados usando ponto eletrônico. Entretanto, não soube informar quantos estavam fazendo a prova e quantos passavam o gabarito. Segundo ele, candidatos costumam pagar de R$ 22 mil, quando o gabarito é passado por ponto eletrônico, a R$ 200 mil, quando uma pessoa é contratada para fazer a prova.

“As investigações prosseguem e amanhã [segunda] vamos sentar com o Inep [para continuar cruzando os gabaritos]”, afirmou Perazzoni sobre a apuração para identificar se houve mais fraudes do que as situações já descobertas.

A PF realizou duas operações em pelo menos 8 estados para combater fraudes contra o Enem, que aconteceu neste final de semana. Uma delas foi em Montes Claros (MG) e teve como alvo uma organização criminosa suspeita de utilizar uma central de telefonia celular e pontos eletrônicos para repassar informações aos candidatos. A outra operação aconteceu em estados do Norte e Nordeste e investiga 22 pessoas também suspeitas de fraudar o exame.
Candidato de 34 anos é preso em flagrante por usar ponto
eletrônico, em Fortaleza (Foto: Divulgação/PF)

Chamada de "Embuste", a operação realizada em MG cumpriu 28 mandados judiciais, sendo 4 de prisão temporária, 4 de condução coercitiva (quando alguém é levado para depor), 15 de busca e apreensão e outros 5 de sequestro de bens.
De acordo com a PF, o principal alvo dos candidatos que recorreram à fraude eram cursos de medicina.
"No decorrer das investigações, a Polícia Federal conseguiu identificar o repasse de gabaritos, mediante moderna central telefônica via celular, para candidatos situados em diversas partes do país, em evidente fraude ao Enem/2016", informou a PF em nota.
O delegado Franco Perazzoni contou que, em um dos casos de prisão, o equipamento com a escuta teve que ser retirado do ouvido do candidato com uma pinça que possui um ímã na ponta.
Em Fortaleza (CE), um rapaz de 34 anos, que fazia a prova do Enem neste domingo, foi preso em flagrante usando um equipamento eletrônico preso ao corpo e pontos de escuta nos ouvidos. De acordo com a Polícia Federal,  ele foi identificado após a deflagração da operação Embuste, em Minas Gerais.
Ainda de acordo com a Polícia Federal, além do Enem o grupo já teria fraudado, em 2016, vestibulares nas cidades de Mineiros (GO) e Vitória da Conquista (BA), realizados em outubro.
Norte e Nordeste
A outra operação, batizada de Jogo Limpo, foi realizada em sete estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará. Também em nota, a PF informou que foram cumpridos 22 mandados de busca e apreensão e que o objetivo foi "reprimir fraudes" ao Enem.
"A partir da análise de gabaritos apresentados em anos anteriores promovida pela Policia Federal em conjunto com o INEP, foram identificadas 22 pessoas que teriam apresentado respostas suspeitas de fraude e que fariam a prova novamente em 2016", diz a nota.
Agentes da PF cumpriram apenas 1 mandado de busca pessoal em Santarém (PA) - uma pessoa que fazia a prova do Enem e que, quando saiu do local do exame, foi levado para prestar esclarecimentos.
G1


0 comentários:

Postar um comentário