terça-feira, 6 de setembro de 2016

NOVAS IMAGENS MOSTRAM TIROS CONTRA 3 DAS 11 PESSOAS MORTAS EM CHACINA

video

Novos vídeos da Chacina da Grande Messejana, em Fortaleza, mostram disparos efetuados contra três, das onze pessoas mortas em novembro do ano passado. Segundo o Ministério Público, são mais provas que incriminam os 44 policiais presos.
O vídeo mostra que o comboio, segundo o processo, formado por policiais, chega à rua no Bairro Curió. Um minuto depois, as imagens mostram o clarão dos disparos. Três das quatro vítimas morreram nessa ação. Em seguida, o comboio vai embora. Quarenta  minutos depois, todos voltam a passar pelo local. Vários carros estavam com placas  adulteradas, cobertas com fita isolante. Para os pomotores, são provas técnicas que reforçam a acusação contra os policiais presos.
O Ministério Público continua as investigações do caso, já que, segundo os promotores, mais de 100 pessoas estariam envolvidas na chacina. Muitas delas ainda não foram identificadas. A promotoria espera por novas provas para dar continuidade aos trabalhos.
Enquanto isso, o Ministério Público ressalta que as investigações não são contra a polícia, mas atingem os profissionais com suspeita de envolvimento na chacina. “A Polícia Militar do Cearámerece e continua a merecer nosso respeito, nossa admiração. Composta por mais de 17 mil homens. E desses 17 mil apenas esses 45 ou um pouco mais, individualmente, pontualmente cometeram infelizmente essa chacina, essa barbárie, esse ato reprovável”, explicou o promotor, Marcus Renan Palácio.
Denúncia do Ministério Público
A denúncia do Ministério Público tem 69 páginas. Reúne uma série de provas que, segundo os promotores, comprovam participação de policiais militares, que se articularam em conversas por telefone e redes sociais para a ação. A chacina da Grande Messejana deixou 11 pessoas mortas.
No dia 31 de agosto, 44 policiais tiveram a prisão decretada pela Justiça. A Associação de Cabos e Soldados montou um escritório para prestar atendimento jurídico dentro do 5º batalhão, onde estão os presos. Eles  podem apresentar defesa até antes da audiência, marcada para dia 7 de outubro.
A Associação de Cabos e Soldados informou que todos os 44 policiais militares presos foram ouvidos pelo departamento jurídico da instituição. A associação vai fazer a defesa de 16 deles.
G1 CEARÁ



0 comentários:

Postar um comentário